França reúne líderes mundiais no Dia da Bastilha

Em manobra diplomática, Sarkozy recebe autoridades de nações inimigas nas celebrações da Revolução Francesa

Agência Estado e Associated Press,

14 de julho de 2008 | 08h56

Os líderes de nações inimigas como Síria e Israel e os presidentes do Líbano e da Autoridade Nacional Palestina (ANP) participaram nesta segunda-feira, 14, das celebrações do Dia da Bastilha em Paris, numa manobra diplomática do presidente da França, Nicolas Sarkozy.   Outros líderes da Europa, do Oriente Médio e do norte da África, assim como o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, assistiram às tradicionais celebrações, durante a qual soldados marcharam pelos Campos Elísios enquanto aviões sobrevoavam Paris deixando para trás uma trilha de fumaça nas cores da bandeira da França.   Da esquerda para a direita: o presidente sírio, Bashar Al-Assad, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o presidente egípcio, Hosni Mubarak e o premiê israelense, Ehud Olmert. Foto: Reuters   O presidente da Síria, Bashar Assad, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, e os líderes de mais de uma dezena de outros países ficaram em um palanque oficial com vista para o Arco do Triunfo. A celebração ocorre apenas um dia depois de uma reunião de cúpula na qual os líderes lançaram a União pelo Mediterrâneo, uma iniciativa de Sarkozy com o objetivo de garantir a paz entre os países da região, onde vivem cerca de 800 milhões de pessoas.   Nicolas Sarkozy (ao centro) participa de desfile da Guarda Republicana. Foto: Associated Press   Representantes de 43 nações, entre eles Israel e os Estados árabes do mediterrâneo, concordaram, durante a cúpula, em trabalhar por um Oriente Médio livre de armas de destruição em massa.   Sarkozy acompanhado da mulher, a ex-modelo e cantora Carla Bruni. Foto: Associated Press    

Tudo o que sabemos sobre:
França

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.