França vai reconhecer Estado palestino se processo de paz fracassar

A França disse nesta sexta que está trabalhando com parceiros em um impulso diplomático "final" para superar o impasse entre israelenses e palestinos, inclusive para que se estabeleça um cronograma de dois anos para o fim do conflito por meio de uma resolução apoiada pela ONU.

REUTERS

28 de novembro de 2014 | 11h11

"Se esse esforço final para se chegar a uma solução negociada falhar, então a França terá que fazer o que é preciso reconhecendo sem demora o Estado palestino", disse o chanceler francês, Laurent Fabius, ao Parlamento.

Parlamentares franceses devem realizar uma sessão simbólica em 2 de dezembro para votar se o governo francês deve reconhecer a Palestina como Estado, uma medida que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, chamou de "erro grave".

Fabius disse aos deputados que, caso a moção seja aprovada por eles, o governo francês não fará nenhuma mudança imediata em sua posição diplomática.

Mas o chanceler disse que a França está trabalhando na ONU para conseguir a aprovação de uma resolução que estabeleça um cronograma de dois anos para se chegar a uma solução negociada. Ele também propôs a realização de uma conferência em paralelo para pressionar os dois lados.

(Reportagem de John Irish)

Mais conteúdo sobre:
FRANCAPALESTINARECONHECIMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.