Francês que atirou contra o ex-presidente Chirac é libertado

Maxime Brunerie, hoje com 32 anos, tirou seu rifle de uma maleta de guardar guitarra e atirou contra Chirac

AP e EFE,

22 de agosto de 2009 | 09h05

O oficial de Justiça disse que o ativista francês foi solto após cumprir sete anos de prisão, em Val-de-Reuil, por tentar assassinar o então presidente Jacques Chirac nas cerimônia de comemoração do Dia da Bastilha.

 

Maxime Brunerie, que hoje tem 32 anos, tirou seu rifle de uma maleta de guardar guitarra e atirou em Chirac em 14 de julho de 2002. O ataque ocorreu durante a parada militar em na avenida dos Champs-Elysees, em Paris, quando o chefe de Estado francês transitava em um carro sem capota. Brunerie foi inibido por um espectador, que desviou o tiro e Chirac não ficou ferido. Outros espectadores ajudaram a dominar o jovem.

 

Durante o julgamento, o jovem disse que queria "fazer algo histórico". A acusação descartou motivação política, apesar de Brunerie ter militado em grupos de extrema direita, como o desaparecido Unidade Radical e, anteriormente, no ultra-direitista Movimento Nacional Republicano.

 

O policial disse neste sábado, 22, que Brunerie, que foi sentenciado há dez anos de prisão, foi solto no início do mês, mas continua sob supervisão judicial. O policial falou em condição de anonimato.

Tudo o que sabemos sobre:
CHIRAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.