Frente Nacional admite revés no Parlamento europeu

A Frente Nacional, partido da extrema-direita francesa liderado por Marine Le Pen, admitiu derrota nesta terça-feira, depois de não conseguir amplo apoio para formar um grupo político no Parlamento Europeu, pondo por água abaixo sua ambição de liderar uma aliança de nacionalistas contra a União Europeia.

NICHOLAS VINOCUR, REUTERS

24 de junho de 2014 | 08h34

O partido de Le Pen, anti-imigrante e contrário à UE, causou sensação nas eleições para o Parlamento Europeu em maio quando foi o mais votado na França, com 24,95 por cento dos votos, derrotando tanto os socialistas do presidente François Hollande como a oposição de centro direita, o UMP.

Antes da votação, Marine disse à Reuters que uma das metas principais da FN era formar um grupo parlamentar, o que lhe garantiria pelo menos 20 milhões de euros em fundos e funcionários, além de mais tempo para falar no Parlamento.

No entanto, horas antes do prazo final para a formação do grupo, nesta terça à noite, ainda lhe faltava o apoio de políticos de dois países para conseguir a representação mínima requerida, de sete países --o que demonstra as dificuldades dos populistas da extrema direita em chegarem a acordo entre si.

"De qualquer modo, nós não temos nenhum grupo, no momento", disse à Reuters o vice-presidente da FN, Florian Philippot.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCALEPENDERROTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.