Fritzl reconhece que deveria ter ajudado bebê morto

'Não sei por que não ajudei. Esperava que o bebê pudesse passar por isso', disse austríaco

Efe,

18 de março de 2009 | 06h46

Josef Fritzl reconheceu nesta quarta-feira, 18, perante o tribunal que o julga que "deveria ter feito alguma coisa" para evitar a morte de uma das sete crianças que teve com sua própria filha, Elisabeth.

 

Veja também:

linkFritzl se declara culpado de todas as acusações

linkFotógrafo consegue flagrar austríaco sem cobrir o rosto

linkJulgamento de Fritzl é retomado a portas fechadas

linkFritzl admite culpa por estupro e incesto, mas nega assassinato

mais imagens Imagens do local em que Fritzl prendeu a filha

video Vídeo: Veja imagens do julgamento

 

"Não sei por que não ajudei. Esperava que o bebê pudesse passar por isso", disse Fritzl, que lembrou que esteve presente no parto dessa criança em 1996.

 

"Declaro ser culpado. Deveria ter reconhecido que o bebê estava mal", afirmou o acusado, que deve ser sentenciado nesta quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Josef FritzlÁustria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.