Fumaça amplia restrição de espaço aéreo; aeroportos de Londres fecham

Terminais do Reino Unido devem ficar fechados até o início da manhã de 2ª; clima afeta movimento das cinzas

Reuters e AP,

16 Maio 2010 | 20h06

A nuvem de cinzas provocadas pelo vulcão islandês continua a atrapalhar a vida das pessoas na Europa. Na noite deste domingo, 16, o Serviço Nacional de Tráfego Aéreo (NATS, na sigla em inglês) do Reino Unido informou que a área fechada para voos aumento, atingindo também os dois principais aeroportos de Londres. Além deles, estão fechados os terminais aéreos nas regiões de Manchester, Liverpool, Doncaster, Humberside, Carlisle, East Midlands e Prestwick (Escócia). Os aeroportos da Irlanda do Norte também estão todos fechados.

 

O aeroporto de Heathrow, na região oeste de Londres e o mais movimentado da Europa, ficará fechado da meia-noite às 6h (das 21h às 3h, no horário de Brasília) desta segunda, por causa da densa fumaça vulcânica que avança para o sul. "A nuvem continua a se deslocar mais para o sul durante a madrugada de amanhã", avisa o comunicado. A previsão é que os outros fiquem fechados pelo mesmo período.

 

Cinzas cobrem regiões inteiras na Islândia. Foto: Ingolfur Juliusson/Reuters

 

Desde o dia 14 de abril a erupção do Vulcão Eyjafjallajokul tem forçado a maioria dos países do norte da Europa a fecharem o espaço aéreo. Mais de 100 mil voos foram cancelados e a estimativa é que mais de 10 milhões de pessoas de todo o mundo tenham sido afetadas. O prejuízo para as companhias aéreas foi superior a US$ 2 bilhões.

 

No sul da Islândia, a atividade vulcânica oscilou neste domingo, mas não ficou mais intensa, explicou o oficial pela segurança civil Agust Gunnar Gylfason. "O que realmente muda é a situação climática", disse. O serviço meteorológico do país informou que "atualmente não há chances de que a erupção esteja prestes a acabar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.