Gás natural não será cortado apesar do frio, diz Gordon Brown

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, disse neste sábado que o fornecimento de gás natural continuará durante o período de frio intenso e que tudo está sendo feito para manter as principais rodovias abertas.

REUTERS

09 de janeiro de 2010 | 18h34

A demanda por gás natural atingiu níveis recordes em meio às condições árticas que atingiram a Grã-Bretanha, que deixou temperaturas abaixo dos 21 graus negativos.

Quase 100 empresas foram obrigadas a cortar o uso do gás natural na semana passada para garantir abastecimento nas residências.

"Posso garantir a vocês: a fonte não irá acabar", disse Brown, em podcast.

"Temos gás suficiente, é claro, em nosso quintal - o Mar do Norte-- e também temos grandes reservas na Noruega e na Holanda através de gasodutos".

A rede nacional de eletricidade divulgou dois alertas para avisar de possível escassez, apesar de ambos terem sido removidos.

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHAGASBROWN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.