Gazprom diz que cortará gás se Ucrânia não pagar dívida até 2ª-feira

A estatal russa de gás e petróleo Gazprom irá interromper o envio de gás à Ucrânia se o país vizinho não pagar parte da sua dívida até segunda-feira, disse o executivo-chefe Alexei Miller nesta quinta-feira, despertando temores sobre o fornecimento à Europa.

VLADIMIR SOLDATKIN, REUTERS

12 de junho de 2014 | 18h09

Miller declarou que se a Ucrânia não pagar 1,95 bilhão de dólares à Gazprom, a empresa irá começar a pedir que Kiev pague adiantado por novas cargas e que se não receber nenhum dinheiro irá cortar o abastecimento.

A Rússia alega que a Ucrânia acumulou mais de 4 bilhões de dólares em dívidas com a Gazprom, que também fornece gás à União Europeia. Metade dos gasodutos atravessa a Ucrânia.

O embate sobre os preços do gás está no centro da crise nas relações da Rússia com a Ucrânia e levou ao pior impasse com o Ocidente desde o fim da Guerra Fria.

Nenhum acordo foi obtido nas várias rodadas de conversas mediadas pela Comissão Europeia. Como as últimas reuniões terminaram em um impasse, a Gazprom estabeleceu a data de 16 de junho como prazo final para a Ucrânia saldar parte de sua dívida.

"Se a Ucrânia não pagar nada pelos suprimentos... o envio (de gás) para a Ucrânia será zero", alertou Miller em comentários televisionados.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIAUCRANIAGAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.