General turco afirma que saída do Iraque era planejada

O principal general da Turquia afirmouneste sábado que as Foças Armadas do país retiraram suas tropasdo norte do Iraque como planejado e desmentiu os boatos de queo Exército havia agido sob pressão dos Estados Unidos, seualiado na OTAN. A Turquia retirou suas tropas do norte do Iraque nasexta-feira, dando fim a uma grande ofensiva contra os rebeldescurdos que era considerada por Washington uma ameaça àestabilidade da região como um todo. Yasar Buyukanit, chefe da comissão de generais, disse aojornal Milliyet que a decisão da retirada foi tomada em solomilitar e que não há mais necessidade de continuar as operaçõesem terra contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão(PKK). "Se eles disserem que o Exército se retirou cedo, entãodeixe-os ir lá (norte do Iraque) e ficar por 24 horas", afirmouBuyukanit, referindo-se às temperaturas abaixo de zero namontanhosa região onde as tropas estavam lutando. Buyukanit afirmou que a empreitada de oito dias foi umsucesso e negou a influência estrangeira na decisão daretirada, tomada um dia após o presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, pedir o fim da ofensiva. "As Forças Armadas cumpriram seu dever com suas forçasaérea e terrestre. Elas fizeram coisas incríveis lá",acrescentou. O Exército matou 242 rebeldes na operação e cortou acomunicação do PKK, afirmou Buyukanit. Mas jornais turcos observaram que a inesperada retiradaveio após o secretário de defesa dos Estados Unidos, RobertGates, em rápida viagem a Ancara, ter pedido uma campanharápida e cuidadosa. "Gates foi embora, a operação terminou", diz a manchete dojornal Radikal neste sábado. A Turquia, dona do segundo maior exército da Organização doTratado do Atlântico Norte (Otan), enviou milhares de soldadosao norte do Iraque em 21 de fevereiro para atacar rebeldes doPKK, que usam a região como base para ataques em territórioturco. Iraque e Washington receberam bem a notícia da retirada,mas alguns comentaristas afirmara que o momento da partida podeter afetado o orgulho turco em meio a suspeitas de que osEstados Unidos tenham forçado uma retirada mais cedo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.