Geórgia acusa Rússia de ''agressão'' com míssil

Governo alega que russos lançaram míssil contra país; Rússia nega que tenha invadido espaço aéreo vizinho

BBC Brasil, BBC

07 de agosto de 2007 | 08h41

O governo da Geórgia acusou nesta terça-feira, 7, a Rússia de ter cometido um "ato de agressão" ao disparar um míssil contra seu território. O governo da Rússia negou as informações rapidamente. Segundo a Reuters,  o míssil pousou sem explodir na noite de segunda-feira em um campo de hortaliças perto da vila de Tsitelubani, a cerca de 65 Km a oeste da capital Tbilisi.Segundo o correspondente da BBC em Moscou James Rodgers, o Ministério do Interior da Geórgia informou que o míssil não explodiu e não deixou feridos. Um porta-voz do ministério afirmou que os jatos russos entraram no espaço aéreo do país na noite de segunda-feira. Segundo o porta-voz, um dos jatos disparou um míssil que acabou caindo no vilarejo de Tsitelubani, a cerca de 60 quilômetros da capital, Tbilisi. Um porta-voz da Força Aérea da Rússia afirmou que seus aviões não estavam na região e não violaram o espaço aéreo da Geórgia.  As duas versões conflitantes refletem as tensões entre Geórgia e Rússia. O vilarejo de Tsitelubani não fica longe da região de Ossétia do Sul.  As regiões de Ossétia do Sul e Abkházia declararam independência nos dias finais da União Soviética. A Rússia intermediou acordos de cessar-fogo e tem mantido negociadores nas duas regiões desde então. Moradores têm tido direito a passaportes da Rússia, e empresários russos estão montando negócios nas regiões. As tensões aumentaram depois que o parlamento da Geórgia acusou a Rússia de tentar anexar as regiões. O presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, chegou a repetir a acusação contra a Rússia na ONU. Saakashvili, aliado dos Estados Unidos, prometeu reconstruir o país e aproximá-lo do Ocidente, o que irritou a Rússia.  Houve meses de intensas trocas de acusações. Quando uma série de explosões misteriosas afetou a oferta de gás e deixou milhares de pessoas sem aquecimento por diversos dias em pleno inverno de 2006, Saakashvili acusou a Rússia de sabotagem. Em março de 2006 a Rússia baniu, devido a restrições sanitárias, as importações de vinho e água mineral da Geórgia, ambos importantes produtos de exportação. O governo de Tbilisi acusou Moscou de praticar uma guerra econômica.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
geórgiarússiaterritóriotbilisi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.