Geórgia acusar Rússia de abater aeronave não-tripulada

Incidente aumenta tensão na região separatista da Abkházia

21 de abril de 2008 | 16h45

A república daGeórgia acusou a Rússia nesta segunda-feira, 21, de violar seu espaço aéreo com um caça MiG e abater uma aeronave não tripulado de reconhecimento que sobrevoava a região separatista da Abkházia no último domingo, 20, informou o jornal New York Times. Veja também: Acompanhe vídeo divulgado pela GeórgiaSeparatistas da Abkházia afirmam que derrubaram um avião espião georgiano O governo da Rússia negou a afirmação da Geórgia e afirmou que nenhum de seus aviões militares estava nas proximidades no domingo, informando ainda que os pilotos militares não estavam trabalhando neste dia. A Geórgia, no entanto, divulgou um vídeo gravado pela aeronave pouco antes de ela ser abatida por um míssil. Chamando o vídeo de "clara evidência", a Geórgia contra-argumentou com uma diplomacia agressiva. O presidente Mikheil Saakashvili fez um pronunciamento na televisão onde afirmou que falou com seu colega russo, Vladimir Putin, e exigiu o fim do que chamou de "ataques agressivos". As imagens mostram uma silhueta de um avião que o governo da Geórgia alega ser um MiG-29, atirando um míssil em direção à câmera. Nem a força aérea da Geórgia nem o pequeno contingente de aeronaves da Abkházia possui aviões deste modelo. Segundo a Geórgia, a única força aérea que possui um MiG-29 que poderia estar na área é da Rússia. No ano passado, a Geórgia acusou a Rússia de dois ataques misteriosos - um em março e outro em agosto. Cada um desses incidentes, segundo a Geórgia, mostra que a Rússia está dando apoio militar, além do político, aos separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul., que declararam sua independência nos anos 1990. Recentemente, Putin, pediu ao seu governo que desse apoio às regiões insurgentes.  Para a Geórgia, os ataques mostram que a Rússia não é neutra e deveriam anular o papel do país como autoproclamada mediadora dos conflitos na região.A Rússia tem negado as agressões, mesmo quando confrontada com peças de foguetes e mísseis russos.

Tudo o que sabemos sobre:
GeórgiaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.