Geórgia diz que separatistas tomaram 13 vilas e usina elétrica

Uma nota do ministério diz que unidades do Exército russo e milicianos separatistas avançaram a fronteira

Associated Press,

16 de agosto de 2008 | 18h30

O ministério das Relações  Internacionais da Geórgia afirma que separatistas da província de Abcázia, com apoio militar russo, tomaram 13 vilas na Geórgia, além de uma usina geradora de energia.   Veja também: Rússia: escudo agrava relações com os EUA Ouça o relato de Lourival Sant'Anna  Imagens feitas direto de Gori, na Geórgia  Godoy e Cristiano Dias comentam conflito  Entenda o conflito separatista na Geórgia Cronologia dos conflitos na Geórgia   Uma nota do ministério diz que unidades do Exército russo e milicianos separatistas avançaram a fronteira da Abcázia em direção ao Rio Inguri. A nota diz que as forças separatistas estabeleceram administrações temporárias em 13 vilas e puseram a usina hidrelétrica do Inguri sob seu poder. As alegações não puderam ser confirmadas com fontes independentes.   Combatentes abcázios, com apoio russo, expulsaram os georgianos de seu último bastião na província dias atrás. Combates entre forças russas e georgianas vêm  sendo travados em duas regiões separatistas - Abcázia e Ossétia do Sul.   A maioria das vilas e a usina ficam numa zona de distensão estabelecida em 1994 por uma resolução de cessar-fogo das Nações Unidas que encerrou uma guerra na província, deixando-a com uma independência de fato.   A zona de distensão passa pelas regiões de Gali, na Abcázia, e Zugdidi, na Geórgia, incluindo uma faixa montanhosa entre o território abcázio e o Rio Inguri. Separatistas reconhecem que a invasão da zona de distensão representa uma violação do acordo de paz que pôs fim à guerra de 1991-1993, mas dizem que a Geórgia foi a primeira a violar a trégua.

Tudo o que sabemos sobre:
geórgiarússiaabcáziaossétia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.