Geórgia exige indenização russa por avião derrubado

Governo russo afirma que só poderá se manifestar após assistir ao vídeo que comprovaria o ataque

Agência Estado e Associated Press,

27 de maio de 2008 | 11h15

A Geórgia exigiu nesta terça-feira, 27, que a Rússia pague uma compensação por ter abatido uma sonda de espionagem que, segundo uma missão da Organização das Nações Unidas (ONU), foi derrubada por um avião russo sobre a província separatista georgiana da Abkházia. A exigência foi feita numa nota de protesto entregue a Vyacheslav Kovalenko, embaixador russo em Tbilisi, informou o Ministério das Relações Exteriores da Geórgia. Em Copenhague, por sua vez, o chanceler russo Serguei Lavrov exigiu da Geórgia que entregue a gravação que mostra um caça abatendo a sonda espiã. De acordo com ele, a Rússia não poderia dar uma "resposta definitiva" sobre se o avião era realmente seu até ver a gravação. A nota entregue ao pela Geórgia exigia ainda a retirada das forças de manutenção de paz da Rússia na Abkházia e a revogação de um decreto presidencial ordenando o fortalecimento dos laços com as regiões separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul. A Geórgia acusa da Rússia de querer anexar as duas regiões separatistas. O governo georgiano não controla as duas regiões desde o fim de uma guerra em meados da década passada. A Rússia não reconhece formalmente nenhum dos governos separatistas, mas mantém relações estreitas com eles, assim como forças de manutenção de paz nos dois territórios. A Geórgia acusa as forças russas de apoiarem os separatistas. Na segunda-feira, uma missão de observação da ONU concluiu que tanto a Rússia quanto a Geórgia violaram um acordo de cessar-fogo sobre a Abkházia. Segundo os observadores, os georgianos violaram a trégua ao promoverem o vôo de uma sonda de espionagem não-tripulada sobre a Abkházia. Já os russos violaram o acordo ao derrubarem a sonda. A missão da ONU chegou à conclusão de que o avião que derrubou a sonda georgiana não-tripulada sobre a Abkházia pertencia a Moscou. A tensão é alta na região por causa do apoio russo à província separatista georgiana da Abkházia e da pretensão da Geórgia de ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A sonda espiã foi abatida em 20 de abril. Um vídeo feito pela sonda mostra um caça disparando um míssil em sua direção. O governo separatista da Abkházia alegou ter abatido a sonda com jatos L-39, mas, segundo especialistas, o avião que está no vídeo é mais parecido com o MIG-29 ou com o SU-27. A Missão de Observação da ONU na Geórgia informou que o acompanhamento dos radares mostra que o avião, depois de disparar, ingressou no espaço aéreo russo.

Tudo o que sabemos sobre:
GeórgiaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.