Geórgia prolonga estado de guerra

A decisão foi tomada pela Rússia manter presença militar no país

EFE

23 de agosto de 2008 | 06h48

O Parlamento da Geórgia prolongou neste sábado por duas semanas o estado de guerra no país por considerar que a Rússia descumpriu seu compromisso de retirar suas tropas do território georgiano para as regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abkházia. Os deputados aprovaram assim o pedido do presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, que argumentou que a prorrogação do estado de guerra é necessária "porque as tropas russas permanecem na Geórgia em violação do acordo de cessar-fogo". O estado de guerra foi implantado no país caucásico por duas semanas no último dia 8, quando a Rússia enviou seu Exército para a Geórgia a fim de defender a separatista Ossétia do Sul dos ataques das tropas georgianas. A Rússia declarou sexta-feira à noite que tinha recuado suas tropas do território georgiano para a Ossétia do Sul, mas Tbilisi denunciou que os militares russos mantêm sob seu controle regiões estratégicas do país e várias localidades, como o porto de Poti e a cidade de Senaki, no oeste perto da também separatista Abkházia. "A situação melhorou só ligeiramente após a retirada das principais unidades da Rússia, já que as tropas russas mantêm o controle de vários territórios estratégicos, ou seja que as forças de ocupação continuam suas ações militares", disse à imprensa o deputado David Darchiashvli.

Tudo o que sabemos sobre:
Geórgia, Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.