Gorbachev propõe relançar partido social democrata da Rússia

O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev, de 81 anos, propôs nesta quarta-feira fazer reviver um partido social democrata na Rússia na esperança de unir os grupos de esquerda que se opõem ao presidente eleito, Vladimir Putin.

TIMOTHY HERITAGE, REUTERS

21 Março 2012 | 15h13

Gorbachev disse, segundo a agência de notícias Interfax, que já está pronto para relançar o movimento liderado por ele entre 2001 e 2004, mas que não seria o seu líder.

Ele tem pouco apoio entre a população, pois se atribui a ele a responsabilidade pelo colapso da União Soviética. O partido dele causou pouco impacto na formação anterior, quando não conseguiu obter nenhum assento na câmara baixa do Parlamento, antes de ser dissolvido em 2007.

Muitos russos mostram-se céticos com a proposta de Gorbachev.

"Isso não é produtivo. Apesar de todo meu respeito pelo serviço público de Mikhail Sergeyevich (Gorbachev), ele não é capaz de mover essa rocha sozinho", disse Gennady Gudkov, líder de protestos e deputado da oposição.

"Gorbachev é popular no exterior, mas seria um grande exagero falar de sua popularidade em casa", disse ele, acrescentando que a oposição deveria tentar reformar os partidos de esquerda com assentos no Parlamento.

Gorbachev, que lançou as reformas da "perestroika" (reestruturação) e a "glasnost" (abertura), parece preocupado de que os grupos de esquerda estejam muito desunidos para aproveitar as propostas de reforma que tornariam mais fáceis registrar os partidos políticos.

"Há muita confusão sobre a formação dos partidos na Rússia agora e um partido social democrata poderia reunir um círculo maior", disse Gorbachev, segundo a Interfax.

"Não pretendo liderar esse novo partido, mas estou pronto para exercer um papel muito ativo nessa criação e eu estimulo todos aqueles que estiveram na última equipe dos social democratas a se envolver."

Um dos críticos mais contundentes de Putin, Gorbachev concorreu à eleição presidencial em 1996, mas se saiu muito mal. Embora seja improvável que exerça um forte apelo, a proposta dele pode servir como uma sacudida.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA GORBACHEV PARTIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.