Governo belga colapsa depois que partido deixa coalizão governista

Primeiro-ministro anuncia sua renúncia em meio a crise política e econômica

Reuters

22 de abril de 2010 | 11h24

BRUXELAS - O governo do primeiro-ministro da Bélgica, Yves Leterme, entrou em colapso nesta quinta-feira, 22, depois que o partido liberal flamenco saiu de sua coalizão.

 

Laterme, de 49 anos, chamou uma reunião de emergência em seu gabinete no começo da tarde desta quinta para informar aos ministro que seu segundo mandato no gabinete estava no fim, e partiu para o palácio real para comunicar sua renúncia ao rei Albert.

 

"Yves Leterme não tinha outra opção senão nos informar que ele iria imediatamente falar com o rei sobre sua renúncia" disse o ministro da Saúde Laurette Onkelinx aos repórteres.

 

Sem o apoio do partido de centro-direita Open VLD, os quatro partidos restantes no governo ainda teriam 76 das 150 cadeiras na câmara baixa do parlamento, mas seria difícil governar um uma maioria tão pequena.

 

Open VLD disse que havia perdido a confiança no governo por causa de sua incapacidade de resolver a disputa entre os falantes do francês e os falantes do holandês sobre as fronteiras eleitorais ao redor da capital Bruxelas.

 

"Nós não chegamos em uma solução negociável e portanto a Open VLD não possui mais confiança no governo", disse Alexander De Croo, o líder do partido.

 

Economistas expressaram sua preocupação de que a paralisia política afetasse os prospectos de redução do déficit público belga, que o governo previu em 4,8% do PIB do país em 2010.

 

Leterme se tornou primeiro-ministro pela segunda vez em novembro passado quando Herman Van Rompuy deixou o posto para se tornar presidente na União Europeia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.