Reuters
Reuters

Governo britânico concede liberdade a Ronald Biggs

Biggs ficou famoso pelo assalto ao trem pagador, na Escócia, e será liberado por motivos médicos

06 de agosto de 2009 | 15h28

O ministro de Justiça britânico, Jack Straw, concedeu nesta quinta-feira, 6, a liberdade a Ronald Biggs, conhecido como o "ladrão do século" pelo assalto ao trem pagador, na Escócia, em 1969, por motivos de compaixão por seu precário estado de saúde. Biggs se tornou muito famoso por, após o roubo de 2,6 milhões de libras esterlinas, ter fugido para o Brasil.

 

O Reino Unido tentou a extradição durante anos sem sucesso. O Brasil não dava permissão porque Biggs tinha um filho no País. Ele é pai de Michael Biggs, Mike, membro da banda infantil A Turma do Balão Mágico durante a década de 1980.

 

Biggs, que este fim de semana completará 80 anos (data que também marca o 46º aniversário do assalto ao trem pagador), foi transferido no dia 28 de julho de sua cela na prisão de Norwich, no leste da Inglaterra, para um hospital próximo, por causa de uma pneumonia severa, e os médicos acreditam que "não há muita esperança" para sua recuperação. No dia 1º de julho, Straw negou a liberdade ao famoso criminoso, porque "não se arrependeu de seu crime", apesar de ter mudado de opinião agora, aparentemente por "motivos médicos".

 

O ladrão passou 30 anos foragido na Austrália, Espanha e Brasil (e zombando os esforços do Reino Unido para coneguir sua extradição), mas resolveu voltar ao Reino Unido voluntariamente em 2001 para tratar de sua saúde. Pelo assalto, Biggs foi preso e condenado no Reino Unido a 30 anos de prisão, mas conseguiu fugir da prisão de Wandsworth, em Londres, em um caminhão de mudanças. Ele cumpriu apenas 15 meses da sentença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.