Arquivo/AP
Arquivo/AP

Governo britânico vai indenizar vítimas do 'Domingo Sangrento'

Morte de 14 participantes em passeata de 1972 na Irlanda do Norte desencadeou onde de violência

PETER GRIFFITHS, REUTERS

22 Setembro 2011 | 08h49

LONDRES - O Reino Unido irá indenizar parentes de pessoas mortas e feridas por seus soldados durante um incidente de 1972 na Irlanda do Norte, o "Domingo Sangrento", um dos fatos cruciais nas três décadas de conflito na província.

As mortes de 14 participantes de uma passeata não autorizada na localidade de Londonderry desencadearam uma onda de violência na província e deram impulso às adesões ao grupo Exército Republicano Irlandês (IRA), que travou uma violenta campanha contra o domínio britânico na Irlanda do Norte.

Após um inquérito oficial no ano passado, o Ministério da Defesa disse que integrantes das Forças Armadas "agiram erradamente" e que o governo "lamenta profundamente" os incidentes de 30 de janeiro de 1972.

"Estamos em contato com os advogados das famílias, e onde houver responsabilidade legal de pagar indenização nós pagaremos", diz a nota, sem revelar quantas famílias podem receber o benefício, e qual será o valor.

O conflito na Irlanda do Norte opõe nacionalistas católicos, partidários da anexação da Irlanda do Norte à vizinha República da Irlanda, aos chamados "unionistas", protestantes defensores da continuidade da ligação com o Reino Unido.

Linda Nash, irmã de um rapaz morto aos 19 anos nos protestos, disse à BBC que a oferta de indenização é "repulsiva, ofensiva", e que o certo seria punir os soldados responsáveis. "Nem agora nem em tempo algum vou aceitar dinheiro. Já disse à minha equipe jurídica que quero levar os processos adiante."

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHAIRLANDABLOODYSUNDAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.