Governo da Islândia renuncia após rompimento de coalizão

Premiê foi duramente criticado por sua atuação na crise financeira, que deixou país à beira do colapso

Agências internacionais,

26 de janeiro de 2009 | 11h54

O primeiro-ministro da Islândia, o conservador Geir H. Haarde, anunciou sua renúncia nesta segunda-feira, 26, e a de seu governo em bloco após ser rompida a coalizão formada entre conservadores e social-democratas. Com isso, pode surgir uma nova coalizão para administrar o país até maio, quando estão previstas eleições gerais. A Islândia sofre bastante com a crise financeira desde o colapso de bancos do país, por causa das elevadas dívidas contraídas durante anos de expansão econômica. A inflação e o desemprego aumentaram muito e a moeda sofreu forte desvalorização nos últimos meses. Haarde afirmou que sua intenção era continuar no poder, mas que foi forçado à renúncia por seus parceiros social-democratas, depois de uma semana de intensos protestos contra o governo por sua atuação na crise econômica que deixou o país à beira do colapso. A renúncia do Governo acontece um dia após a do ministro de Assuntos Econômicos, Björgvin Sigurdsson, e após a do anúncio de eleições antecipadas para o dia 9 de maio realizado pelo próprio Haarde, que não se apresentará por sofrer um tumor maligno.

Tudo o que sabemos sobre:
Islândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.