Governo espanhol vai tentar impedir consulta alternativa sobre independência da Catalunha

A Espanha vai tentar bloquear na Justiça uma consulta alternativa à votação sobre a independência da Catalunha prevista para 9 de novembro, da mesma forma que impediu um referendo sobre o tema, disse a vice-premiê Soraya Sáenz de Santamaría, nesta sexta-feira.

REUTERS

31 de outubro de 2014 | 12h17

As tensões entre o governo central espanhol e a Catalunha crescem à medida que Madri bloqueia todas as tentativas da região no nordeste do país de votar sobre seu futuro. Madri argumenta que tal votação violaria a Constituição, porque permitiria a um percentual de espanhóis votar sobre um assunto que afeta o país todo.

A vicê-premiê disse em entrevista à imprensa que o governo central vai tentar bloquear a votação alternativa, chamada de "consulta aos cidadãos", para proteger os direitos dos funcionários públicos catalães, para que eles não sejam obrigados a infringir a lei.

O líder catalão, Artur Mas, planeja realizar a votação em 9 de novembro, organizada por voluntários, no lugar de um referendo sobre a independência que foi declarado ilegal pelo Tribunal Constitucional.

O governo agora vai pedir ao Tribunal Constitucional que se pronuncie sobre a legalidade da votação, disse Sáenz de Santamaría.

(Reportagem de Sonya Dowsett)

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHACATALUNHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.