Governo sérvio é dissolvido após divergências sobre Kosovo

Após renúncia do premiê, administração provisória sérvio sugere antecipação de eleições para maio

REUTERS

10 de março de 2008 | 10h24

O governo de coalizão do primeiro-ministro da Sérvia, Vojislav Kostunica, foi formalmente dissolvido nesta segunda-feira, 10, abrindo caminho para eleições parlamentares antecipadas. A decisão foi tomada em uma breve reunião do gabinete após o anúncio feito por Kostunica, no sábado, em que disse que o governo não poderia continuar por causa das profundas divergências entre a defesa da manutenção da província de Kosovo contra a entrada na União Européia. "O governo não tem mais uma política comum e unida", afirma o comunicado. "E isso o impede de desempenhar suas funções constitucionais básicas, de definir e liderar as políticas sérvias." O presidente Boris Tadic agora precisa dispensar o parlamento e agendar uma data para as eleições, provavelmente o dia 11 de maio. Kostunica fracassou em forçar a decisão de romper ligações com a União Européia depois que ela apoiou a independência de Kosovo. Seu governo  stava enfraquecido desde a declaração de independência de Kosovo, em fevereiro, e o gabinete apresentava divisões a respeito das relações da Sérvia com a União Européia.   Segundo a BBC, a maioria dos países do bloco europeu reconheceu a independência da província, uma atitude considerada ilegal pelo premiê. A Sérvia, apoiada pela Rússia, afirmou que jamais irá reconhecer a independência de Kosovo.   O Conselho de Segurança da ONU está dividido sobre como responder ao anúncio de Kosovo, e ainda não chegou a um acordo sobre nenhuma ação.  

Tudo o que sabemos sobre:
SérviaKosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.