Grã-Bretanha diz que não tem planos de contingência para independência da Escócia

O governo britânico não está preparando planos de contingência para a possibilidade de os escoceses votarem pela independência em 18 de setembro, disse um porta-voz do primeiro-ministro britânico, David Cameron, nesta segunda-feira.

REUTERS

08 de setembro de 2014 | 08h52

A 10 dias da votação, uma pesquisa YouGov encomendada pelo jornal Sunday Times mostrou que o apoio à independência assumiu a liderança das intenções de voto pela primeira vez desde o início da campanha para o referendo.

Questionado se a posição do governo de não fazer planos de contingência havia mudado após a mais recente pesquisa, um porta-voz de Cameron disse a repórteres: "Não. Não houve mudança nisso. O governo está totalmente focado... em defender que o Reino Unido permaneça junto".

Cameron vai visitar a Escócia antes da votação, para continuar a defender a permanência intacta da união de 307 anos da Escócia com a Inglaterra, disse o porta-voz.

Os três principais partidos da Grã-Bretanha devem começar esta semana a detalhar um cronograma de planos para conceder maiores poderes à Escócia se a independência for rejeitada.

(Reportagem de Kylie MacLellan e David Milliken)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.