Grã-Bretanha recebeu aviões dos EUA com supostos terroristas

Dois aviões dos EUA que transportavamacusados de terrorismo reabasteceram-se na base norte-americanada ilha britânica de Diego Garcia, no oceano Índico, em 2002,afirmou a Grã-Bretanha na quinta-feira, contradizendoinformações divulgadas anteriormente. "Ao contrário dos relatos fornecidos antes, sobre DiegoGarcia não ter sido usada para os vôos de rendição, recentesinvestigações realizadas pelos EUA revelaram agora que em duasocasiões, ambas em 2002, isso ocorreu", afirmou David Miliband,ministro britânico das Relações Exteriores, ao Parlamento deseu país. "Em ambos os casos, um avião norte-americano com um únicodetento a bordo reabasteceu-se na instalação norte-americana deDiego Garcia", disse. O governo da Grã-Bretanha havia dito antes, por váriasvezes, que não possuía informações sobre o território britânicoter sido usado para a transferência de acusados de terrorismorealizada fora do âmbito dos procedimentos normais deextradição depois de o presidente dos EUA, George W. Bush, tersubido ao poder, em 2001. Já o governo norte-americano admitiu ter adotado essaprática, conhecida como "rendição." Miliband afirmou "lamentar muito" ter de corrigir asnegativas anteriores do governo com base em novas informaçõesrepassadas aos britânicos pelo governo dos EUA no dia 15 defevereiro. "Um erro cometido em uma análise dos registrosnorte-americanos fez com que esses casos não fossemdivulgados." A admissão do erro gerou críticas duras dos parlamentares. A polícia britânica disse no ano passado não ter encontradoprovas para dar suporte às acusações de que aviões da CIA comsuspeitos de terrorismo a bordo pousaram ilegalmente emaeroportos britânicos. Esses acusados, segundo se suspeita, foram submetidos atortura em prisões secretas localizadas na Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.