Grécia espera receber apoio da UE para recuperar-se de incêndios

Aviões jogavam água sobreas chamas que ainda ardem em regiões de floresta da Grécia, nasexta-feira, dia em que a União Européia (UE) prometeu enviarao país um grande montante de ajuda a fim de garantir suarecuperação após mais de uma semana de incêndios disseminados. Os bombeiros combatiam na sexta-feira duas grandes frentesde chamas. O fogo provocou uma emergência nacional, matou maisde 63 pessoas e deixou outros milhares desabrigados. Casas pré-fabricadas estavam sendo fornecidas a umavelocidade de 40 por dia e, em muitas oportunidades, foramcolocadas em áreas de montanha a fim dar abrigo a pessoas cujoslares haviam sido consumidos pelas chamas. O governo pagou mais de 70 milhões de euros (96 milhões dedólares) para mais de 20 mil vítimas cujas propriedadesacabaram destruídas. O Ministério das Finanças afirmou que os incêndios haviamprovocado um prejuízo de ao menos 1,2 bilhão de euros àeconomia do país, mas meios de comunicação gregos estimaramesse montante em cerca de 4 bilhões. A autoridade da UE encarregada de um fundo de ajuda de 1bilhão de euros prometeu socorrer a Grécia depois de visitar,de helicóptero, os vales atingidos pelo fogo no sul dapenínsula do Peloponeso. "Se os danos somam, como os senhores escreveram nosjornais, 4 bilhões de euros, então isso significará o envio de200 milhões de euros do fundo de solidariedade. Mas eu espero que os danos tenham sido menores", afirmou acomissária de Política Regional da UE, Danuta Huebner, arepórteres após reunir-se com o primeiro-ministro grego, CostasKaramanlis, em Atenas. José Manuel Barroso, presidente da Comissão Européia (PoderExecutivo da UE), deve voar para a Grécia ainda na sexta-feiraa fim de conversar com o governo grego. Barroso havia descritoos incêndios como um "desastre europeu." Apenas duas semanas antes de eleições parlamentares seremrealizadas no país, Karamanlis vê-se duramente criticado devidoà forma como o governo dele, conservador, enfrentou a pior ondade incêndios já ocorrida na Grécia, segundo se tem notícia. Prevê-se que os eleitores gregos, antes de decidir seuvoto, observem com atenção a forma como o governo distribuiráos esforços de ajuda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.