Grupo anarquista diz ter mandado carta-bomba a banqueiro alemão

Investigadores alemães disseram nesta quinta-feira ter obtido uma carta escrita em italiano na qual um grupo autodenomiado Federação Anarquista Informal assume a responsabilidade por uma carta-bomba enviada ao executivo-chefe do Deutsche Bank, Josef Ackermann.

REUTERS

08 de dezembro de 2011 | 15h09

A carta se refere a "três explosões contra bancos, banqueiros, pulgas e sanguessugas", informaram os procuradores do Escritório de Investigação Criminal do estado alemão de Hesse e Frankfurt, em um comunicado. No texto eles observaram que a carta indica que outras duas bombas podem ter sido enviadas.

(Reportagem de Alexandra Hudson)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHABOMBAANARQUISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.