Grupo nuclear francês Areva cortará 1,3 mil empregos na Alemanha

O grupo nuclear francês Areva cortará 1,3 mil empregos na Alemanha em reação à decisão do governo alemão de fechar todos os reatores nucleares até 2022, informou uma revista alemã neste sábado.

REUTERS

19 de novembro de 2011 | 16h00

O Areva anunciará detalhes de seu plano em 13 de dezembro, disse a revista Der Spiegel, sem citar fontes. Um porta-voz do grupo não quis falar com a revista e o Areva não deu declarações à Reuters.

O jornal francês Le Figaro divulgou no mês passado que o Areva cortaria entre 3 mil e 4 mil postos de trabalho, como parte de uma revisão de estratégia feita pelo grupo nuclear francês, depois que o desastre em Fukushima, no Japão, atingiu projetos no mundo todo.

Segundo a revista Der Spiegel, o Areva pretendia cortar mais de 20 por cento dos cerca de 5,7 mil funcionários em sua sede em Erlangen, na Alemanha, e em outras instalações. Disse ainda que duas de suas usinas seriam totalmente fechadas.

(Reportagem de Marilyn Gerlach)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHANUCLEARDEMISSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.