Guarda costeira da Espanha recolhe quase 700 imigrantes africanos em dois dias

Segundo autoridades espanholas, 49 barcos levavam imigrantes do norte da África para a Espanha

REUTERS

12 de agosto de 2014 | 11h46

Serviços de emergência da Espanha recolheram, nesta terça-feira, 470 imigrantes que viajavam em dezenas de barcos pelo Estreito de Gibraltar, e 227 outros que viajavam no mesmo lugar um dia antes, disse um porta-voz da Agência de Segurança Marítima.

Mais de 75 mil pessoas tentaram cruzar o Mediterrâneo pelo norte da África, chegando na Itália, na Grécia, na Espanha e em Malta, disse a agência de refugiados da ONU. Cerca de 800 pessoas morreram durante essas tentativas.

Cerca de 10.500 crianças, dois terços delas desacompanhadas ou separadas de suas famílias, estão incluídas nesses números, à medida que as pessoas fogem da violência na África e no Oriente Médio, frequentemente utilizando embarcações impróprias e com a ajuda de contrabandistas.

Na terça-feira, 49 barcos, levando principalmente homens, mas também com 68 mulheres e 15 menores de 18 anos, fizeram a jornada do norte da África para a Espanha, segundo autoridades espanholas. Ainda não estava claro se os barcos estavam com problema quando foram parados.

A faixa de navegação do Mediterrâneo tem quase 15 quilômetros de largura em sua parte mais estreita, e é frequentemente utilizada por imigrantes tentando chegar à Europa.

O número de pessoas tentando chegar à Europa pelo Mediterrâneo já é cerca de 60 por cento maior do que em todo o ano passado, de acordo com a ONU.

(Por Rodrigo de Miguel)

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHANAUFRAGIOSRESGATES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.