Guarda de campo de concentração será julgado na Alemanha

John Demjanjuk, de 88 anos, é acusado de envolvimento na morte de de 29 mil judeus

Reuters,

25 de fevereiro de 2009 | 19h16

Um promotor alemão rejeitou nesta quarta-feira, 25, as críticas sobre a demora em julgar o ex-guarda de campo de concentração John Demjanjuk, de 88 anos.  O promotor estadual bávaro Anton Winkler disse que seu gabinete examina as provas contra Demjanjuk desde 30 de dezembro e espera extraditá-lo dos Estados Unidos o mais rapidamente possível, talvez já em março.  "Assim que tivermos concluído as acusações preparatórias, o processo de extradição irá adiante", disse Winkler à Reuters.  Em novembro, o investigador-chefe da Alemanha sobre crimes de guerra nazistas, Kurt Schrimm, pediu a promotores de Munique, onde Demjanjuk vivera antes de emigrar para os EUA, que o indiciassem por envolvimento no assassinato de 29 mil judeus.  Schrimm disse ter reunido provas de que Demjanjuk foi guarda no campo de Sobibor (Polônia) e levou pessoalmente judeus às câmaras de gás em 1943. Na semana passada, Schrimm criticou os promotores pela demora no processo contra um acusado que talvez não viva mais muito tempo.  "A acusação é injusta", disse Winkler, acrescentando que um relatório final sobre o caso deve estar pronto em três semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
HolocaustoAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.