Hillary rejeita propostas russas para fortalecer segurança

Segundo jornal alemão, secretária de Estado dos EUA prefere modernizar instituições a criar novos acordos

Efe,

05 de fevereiro de 2010 | 09h30

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, rejeitou as propostas da Rússia para fortalecer a segurança na Europa e informou que as reformas devem afetar às instituições já existentes, segundo informou nesta sexta-feira, 5, um jornal alemão.

 

"Para nós, a melhor solução é reforçar as instituições existentes no lugar de assinar novos tratados", assinala Hillary em artigo publicado pelo Süddeutsche Zeitung por causa da Conferência de Segurança de Munique que começa nesta tarde.

 

Hillary encoraja seus parceiros europeus a modernizar suas instituições, já que os atuais instrumentos de política de segurança servem para abordar os problemas do século 20, mas não para fazer enfrentar os novos perigos.

 

A chefe da diplomacia americana reivindica da Rússia "respeito à soberania e a integridade territorial" e ressalta que cada país pode fazer livremente a aliança que seja de seu interesse. Além disso, lembra que a segurança europeia é indivisível, o que não significa que seja necessário alcançar um equilíbrio com a

Rússia.

 

No mesmo jornal, o ministro alemão de Exteriores, Guido Westerwelle, reivindica novos esforços na Europa para conseguir um maior desarmamento, além de adaptar os tratados existentes nesse campo aos tempos atuais e que estes sejam ratificados por todos.

 

O titular polonês de Defesa, Radoslav Sikorski, defende em outro artigo publicado pelo Süddeutsche Zeitung em um suplemento especial "uma intensa e constante cooperação com a Rússia para fomentar a transparência e a confiança". Sikorski ressalta que na hora de refletir sobre uma nova ampliação da Aliança Atlântica seria conveniente não deixar a Rússia de fora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.