História pode reconciliar Rússia e Geórgia, diz Medvedev

Presidente russo diz que luta contra os nazistas na Segunda Guerra pode ajudar a restaurar laços entre países

OLEG SHCHEDROV, REUTERS

08 de maio de 2009 | 09h07

A lealdade a uma herança histórica comum pode ajudar na restauração dos laços entre Geórgia e Rússia, abalados pela guerra do ano passado, disse na sexta-feira o presidente russo, Dmitry Medvedev, a veteranos georgianos da Segunda Guerra Mundial. Em mensagem especial aos veteranos, Medvedev citou o papel da União Soviética na derrota à Alemanha nazista, a um custo de quase 27 milhões de mortos civis e militares.

"A luta comum contra os invasores nazistas é uma das páginas mais memoráveis e heroicas num livro multissecular da amizade russo-georgiana", disse Medvedev no texto divulgado pelo Kremlin. "Nossa herança histórica comum, as tradições de boa vizinhança e a camaradagem foram uma base sólida para restaurar a confiança e a compreensão mútua entre os nossos povos, povos que nunca foram inimigos."

A Geórgia perdeu em agosto passado a curta guerra entre os dois países, iniciada depois que Tbilisi tentou retomar à força o controle da região separatista da Ossétia do Sul, um protetorado de Moscou. A mensagem de Medvedev coincide com esforços da Rússia para melhorar sua relações com os EUA e a Otan, depois de um momento de tensão, nesta semana, devido à acusação georgiana de que Moscou teria apoiado uma frustrada rebelião militar.

A Rússia, que rejeitou a acusação, criticou os exercícios militares desta semana da Otan na Geórgia, dizendo que eles ameaçam a estabilidade regional. Por causa dessa atividade, o chanceler Sergei Lavrov abandonou neste mês uma reunião do conselho ministerial Otan-Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAGEORGIAPODERECONCILIAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.