Hollande é presidente francês com menor popularidade em 30 anos, diz pesquisa

Dez meses depois de ter assumido o mandato, o presidente da França, François Hollande, teve a pior avaliação de um presidente francês desde 1981 na pesquisa TNS Sofres para a revista Le Figaro, publicada nesta quinta-feira, no momento em que luta para impulsionar o crescimento econômico e criar empregos.

Reuters

28 de fevereiro de 2013 | 13h22

Eleitores socialistas que levaram Hollande à Presidência em maio de 2012 agora estão questionando a forma como seu governo conduz a economia, que está perto da recessão, com uma série de demissões industriais e com o desemprego no nível mais alto em 15 anos.

A avaliação de Hollande caiu 5 pontos em fevereiro na pesquisa mensal, para 30 por cento, quando os entrevistados foram questionados se eles tinham confiança em seu presidente para resolver os problemas do país.

"Até agora, o palácio (presidencial) do Eliseu podia se parabenizar dizendo que aqueles que votaram no presidente se mantiveram fieis. Isso agora acabou", disse a pesquisa.

A avaliação do primeiro-ministro socialista, Jean-Marc Ayrault, também caiu 5 pontos, para 28 por cento.

De novembro a janeiro, a classificação de confiança de Hollande estava relativamente estável, embora ainda baixa, em cerca de 35 por cento na sondagem encomendada pela publicação, de tendência conservadora.

A pesquisa sugeriu que Hollande só teve um impulso de curta duração com sua intervenção militar no Mali, amplamente elogiada em casa e por aliados como os Estados Unidos.

Dados na terça-feira mostraram que os pedidos de auxílio-desemprego subiram para 3,17 milhões no mês passado, o maior desde julho de 1997, e Hollande admitiu nesta semana que o crescimento fraco tornaria mais difícil cumprir sua promessa de conter o aumento do desemprego até o final de 2013.

O levantamento de 1.000 pessoas foi realizado entre 21 de fevereiro e 25 de fevereiro.

(Reportagem de Alexandria Sage)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAHOLLANDEAPOIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.