Homem assume ter matado a tiros brasileira na Espanha

Corpo da jovem foi achado nas águas do rio Avia no final de fevereiro

Efe,

11 de março de 2009 | 00h41

O assassino confesso da jovem brasileira Maria Socorro da Silva reconheceu na terça-feira, 10, durante uma inspeção em sua casa na cidade de Orense, no noroeste da Espanha, tê-la matado com tiros de uma espingarda de caça, informaram as autoridades. Em comunicado, a Polícia informou que Ramón F.A., de 48 anos e detido desde fevereiro, foi levado a sua casa para uma inspeção devido às contradições entre seu depoimento e os resultados da autópsia da jovem brasileira. Ramón havia confessado ter matado a jovem com um golpe na nuca e que depois a jogou no rio Avia, mas a autópsia constatou que a brasileira morreu em consequência de pelo menos dois tiros disparados por uma espingarda de caça. Durante a revista, o detido admitiu ter matado Maria Socorro em casa com sua própria arma, embora ela não tenha sido achada ainda. A jovem brasileira assassinada morava em Orense, onde trabalhava como prostituta. Seu desaparecimento tinha sido denunciado em 10 de fevereiro e seu corpo apareceu no dia 26 do mesmo mês, nas águas do rio Avia. As investigações continuam e, segundo o comunicado oficial, se descarta o envolvimento de outras pessoas no crime.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhamorte de brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.