Homem não consegue salvar filho em distúrbios na Inglaterra

Um pai contou nesta quarta-feira como correu para socorrer um homem que estava à beira da morte após ser atingido por um carro durante os distúrbios na cidade inglesa de Birmingham, e só então descobriu que se tratava do próprio filho, de 21 anos.

REUTERS

10 de agosto de 2011 | 14h43

"Escutei o som da batida, corri para o local e vi três pessoas no chão", disse Tariq Jahan a repórteres.

"Meu instinto foi de ajudar as três pessoas. Não sabia quem eram nem quem tinha sido ferido. Ajudei o primeiro homem e alguém atrás de mim me disse que meu filho estava deitando atrás de mim. Então, comecei a fazer RCP (respiração cárdio-pulmonar) no meu próprio filho. Meu rosto estava coberto de sangue, minhas mãos cobertas de sangue."

A polícia iniciou uma investigação de assassinato depois que os três homens -- todos muçulmanos -- morreram. Um homem de 32 anos foi preso.

Os três homens integravam um grupo de britânicos de origem asiática que tentavam proteger seu bairro dos saqueadores, depois de voltarem das orações do Ramadã em uma mesquita, disse um amigo do homem à rádio BBC.

Segundo Jahan, eles se uniram depois de ver gangues atacando um posto de combustível e um clube, além de vizinhos serem espancados.

Os distúrbios se espalharam por Birmingham, segunda maior cidade inglesa, depois de três noites de violência em Londres.

(Reportagem de Avril Ormsby)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHADISTURBIOSBIRMINGHAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.