Homens intimidam mulheres sem véu durante o Ramadã na Chechênia

Mulheres afirmam ter sofrido agressões e abusos em região reduto de insurgência islâmica

Reuters,

20 de agosto de 2010 | 22h26

GROZNY, RÚSSIA- Mulheres da conturbada região russa da Chechênia afirmaram nesta sexta-feira, 20, terem sido assediadas e violentadas por grupo de homens por não estarem usando véus muçulmanos no mês sagrado do Ramadã.

 

Veja também:

especialEspecial: As punições da Sharia, a Lei Islâmica

 

Fontes disseram à Reuters que homens barbados vestindo a tradicional túnica islâmica estão percorrendo as ruas desde o início do Ramadã, em 11 de agosto, e intimidando mulheres sem os véus.

 

"Dois homens se aproximaram de mim, um apontando furiosamente um colar de orações, e disse que não era bonito ter a cabeça descoberta durante o Ramadã", disse à Reuters Markha Atabayeva, que mora na capital chechena. "Me deram muito medo".

 

Atabayeva é uma de ao menos dez mulheres que denunciou ataques ou abusos. Um dos homens que participam da violência afirmou à Reuters que "centenas" de mulheres sem véus receberam advertências.

 

Mais cedo, Atabayeva disse que havia visto um grupo de homens com rifles automáticos constrangendo mulheres com a cabeça descoberta.

 

Uma mulher de cerca de 30 anos disse ter sido golpeada no rosto por um homem após se recusar a usar o véu que ele lhe deu.

 

As recentes denúncias ocorrem após uma ordem do líder espiritual da Chechênia para fechar todos os cafés durante o mês do Ramadã.

 

Com uma insurgência islâmica em expansão, analistas temem que o crescente interesse pelo Islã radical reforce o separatismo no Cáucaso Norte, observado de perto pelo Kremlin enquanto a Sharia enfraquece as leis russas no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.