Incêndio mata 29 pessoas em asilo na Rússia

Chamas atingem prédio com pelo menos 300; autoridades já haviam alertado para risco no local

Agências internacionais,

05 de novembro de 2007 | 07h55

Um incêndio em um asilo matou pelo menos 29 pessoas no domingo, 4, segundo fontes do serviço de emergência.   O incidente aconteceu em Tula, a 300 quilômetros de Moscou. Inspetores de segurança já haviam ordenado o fechamento do local por conta de violações de segurança, incluindo a falta do sistema de alarmes de incêndio.   No momento do incêndio, por volta das 13h30 local, no prédio de dois andares estavam cerca de 300 idosos e 12 de empregados do asilo. Segundo a fonte, o imóvel é de alvenaria, mas as divisórias são de madeira.   Essa tragédia é a mais recente de uma série de desastres envolvendo incêndios na Rússia, onde prédios administrados pelo governo costumam ser criticados devido à falta de manutenção e à ausência de procedimentos e equipamentos adequados de segurança.   Segundo Beltsov, o prédio incendiado em Tula, construído em 1952, não contava nem com um sistema de alarme e nem com equipamentos de combate ao fogo. As chamas já haviam se espalhado por 1.000 metros quadrados quando os bombeiros chegaram. "Eles não tinham equipamento nenhum. Ainda assim, quando o fogo começou, os funcionários tiveram tempo suficiente para retirar os idosos. Os investigadores precisarão descobrir agora por que isso não aconteceu", afirmou. Viktor Zubkov, primeiro-ministro da Rússia, ordenou a abertura imediata de um inquérito para apurar o caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússia, incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.