Incêndios matam 46 e Grécia declara estado de emergência

Vários focos de incêndio atingem o Peloponeso e outras regiões desde a última sexta-feira

REUTERS

25 de agosto de 2007 | 12h30

O governo grego declarou estado de emergência em todo o país no sábado após incêndios florestais matarem pelo menos 44 pessoas na região do Peloponeso, sul do país."O estado de emergência está declarado em todas as regiões do país", disse o primeiro-ministro grego, Costas Karamanlis, em um pronunciamento à nação.Vários focos de incêndio atingem o Peloponeso e outras regiões desde a sexta-feira, deixando centenas de pessoas presas em vilas. Karamanlis disse que a existência de vários focos "não pode ser coincidência" e prometeu encontrar e punir os responsáveis.   De acordo com os bombeiros locais, pelo menos seis pessoas morreram presas em carro perto da aldeia de Komotheika, no oeste do Peloponeso. Mais seis pessoas foram encontradas mortas em diferentes locais de Areopolis, informou o Corpo de Bombeiros. Todos os hotéis e alguns bairros da cidade foram esvaziados por precaução.   Trata-se do dia com maior número de mortos atribuídas aos incêndios disseminados pelo calor e pelos ventos secos nas florestas gregas.   A noroeste dali, um incêndio no Monte Taigetos saiu de controle em diversas frentes, levando ao esvaziamento de três povoados e à declaração de um estado de emergência em duas áreas. Diversas casas foram atingidas e uma estrada entre Esparta e Kalamata foi interditada, prosseguiram os bombeiros.   Os incêndios estão entre os mais de 150 focos registrados em todo o país ao longo das últimas 24 horas. "A situação é dramática", disse o bombeiro Nikos Diamandis a uma emissora local de televisão.   A Grécia sofreu em 2007 um dos piores verões dos últimos anos em termos de incêndios florestais, com o surgimento de centenas de focos e a devastação de milhares de hectares de florestas.   A Comissão Européia enviou ajuda ao país neste sábado, 25.

Tudo o que sabemos sobre:
GRECIAINCENDIOEMERGENCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.