Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Indepêndencia de Kosovo provoca protesto em frente à ONU

Manifestantes lotaram a esplanada do Palácio das Nações; Em Viena, 4 mil sérvios protestam na Praça dos Heróis

Efe,

24 de fevereiro de 2008 | 14h05

Milhares de pessoas se reuniram neste domingo, 24, em frente à sede das Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra para protestar contra a auto-proclamada independência do Kosovo na semana passada, em atos convocados por organizações pró-sérvias.   Veja também: Premiê sérvio pede que EUA revejam independência de Kosovo Ouça o relato do enviado a Kosovo, Lourival Sant'Anna Kosovo faz o mundo pisar em ovos  Entenda o que está em jogo em Kosovo Mapa: a disputa dos Bálcãs  Veja lista de países que reconhecem a independência do Kosovo    Os manifestantes lotavam a esplanada localizada em frente à porta principal do Palácio das Nações, onde se encontra a gigantesca escultura de uma cadeira com um dos pés quebrado, com milhares de bandeiras sérvias e cartazes.   A Suíça ainda não reconheceu o novo Estado, embora a comissão de política externa do parlamento suíço tenha recomendado ao Conselho Federal o reconhecimento da independência do Kosovo.   Em Zurique, manifestantes gritavam slogans contrários à independência da ex-província do país e levavam cartazes com os escritos "A independência do Kosovo divide o mundo", num protesto autorizado pelas autoridades locais no sábado, 23.   Na Europa, também houve diversos protestos. Nas cidades alemães de Düsseldorf, Frankfurt e Stuttgart, cerca de 500 mil sérvios em cada cidade foram convocados no sábado, 23, pelo Conselho Central dos Sérvios para protestar nas ruas.   Protestos em Viena   Em Viena, milhares de sérvios se concentraram neste domingo, 24, na Praça dos Heróis, junto ao Palácio Imperial, para protestar contra a independência do Kosovo.   Os organizadores da manifestação esperavam a participação de até 10 mil pessoas, enquanto a polícia calculou que cerca de 4 mil haviam comparecido ao ato.   Houve vaias à menção do chefe de Governo austríaco, Alfred Gusenbauer, e à ministra do Exterior, Ursula Plassnik, que optaram por um rápido reconhecimento do Kosovo.   Também foram vaiados os Estados Unidos, assim como os países da União Européia (UE) que reconheceram o território como Estado independente, ou àqueles que anunciaram que o farão em breve, como a Áustria.  

Tudo o que sabemos sobre:
KosovoONUprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.