Índia e Itália encerram impasse sobre fuzileiros com acordo inesperado

Numa decisão surpreendente, a Itália decidiu devolver nesta sexta-feira dois fuzileiros navais acusados ??de matar dois pescadores indianos, após intensas negociações durante mais de 24 horas em que o governo italiano obteve a promessa de Nova Délhi de que os militares não serão sentenciados à morte se forem condenados, disseram autoridades.

Reuters

22 de março de 2013 | 09h59

Os fuzileiros, membros de uma equipe de segurança militar enviada para proteger um navio-tanque de uma ameaça de pirataria em fevereiro do ano passado, são acusados ??de terem matados os pescadores no litoral do Estado indiano de Kerala.

Eles dizem que dispararam tiros de advertência contra um barco de pesca acreditando ser um navio pirata.

Os fuzileiros, Salvatore Girone e Massimiliano Latorre, estavam voando de volta para a Índia nesta sexta-feira em um avião da Força Aérea Italiana. O vice-chanceler italiano, Staffan de Mistura, estava viajando com eles.

"Estamos felizes com o resultado que é consistente com a dignidade do processo judicial indiano", disse o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, a repórteres.

Índia e Itália travaram uma longa disputa diplomática sobre os fuzileiros navais, que foram autorizados a deixar a Índia para votar nas eleições italianas do mês passado, desde que retornassem até esta sexta-feira.

(Por Ross Colvin)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAINDIAMARINES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.