'Investigação deve procurar Madeleine', pedem pais

Segundo porta-voz do casal, eles vão colaborar com o novo coordenador da investigação

Efe,

03 de outubro de 2007 | 06h07

A família McCann quer que a pessoa que suceda Gonçalo Amaral, coordenador português da investigação do caso Madeleine afastado na terça-feira, procure a menina, informou o porta-voz dos pais da menina, Clarence Mitchell. Em declarações à cadeia GMTV, Mitchell disse que Gerry e Kate McCann - declarados suspeitos em Portugal pelo desaparecimento de sua filha - querem que a investigação policial volte a se concentrar em encontrar a menor, vista pela última vez no dia 3 de maio no Algarve, sul de Portugal. O diretor da Polícia Judiciária portuguesa (PJ), Alipio Ribeiro, anunciou na terça-feira a decisão de retirar Amaral do caso, sem dar explicações sobre a medida. Nesse sentido, Mitchell assegurou nesta quarta que se tratou de uma decisão exclusiva das autoridades portuguesas. "Kate e Gerry sempre afirmaram que estão satisfeitos de cooperar com as autoridades portuguesas", acrescentou o porta-voz. "Em outras palavras, quem queira que suceda Amaral como chefe da investigação, eles continuarão cooperando e farão tudo o que for necessário, inclusive voltar a Portugal para mais interrogatórios", especificou Mitchell. A decisão de retirar Amaral do caso coincidiu com as críticas que este fez à Polícia britânica, dizendo ao Diário de Notícias de Portugal que as forças da ordem do Reino Unido estiveram unicamente trabalhando sobre pistas que eram convenientes ao casal McCann. Nesse sentido, Mitchell qualificou de "ridículas" as sugestões que os McCann identificassem linhas de investigação. Amaral desempenhava as funções de coordenador do Departamento de Investigação Criminal de Portimão.

Tudo o que sabemos sobre:
MadeleinePortugalReino UnidoMcCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.