IRA detona explosivos perto de quartel britânico na Irlanda do Norte

IRA detona explosivos perto de quartel britânico na Irlanda do Norte

Moradores da casa próximas foram retirados do local pouco antes da explosão, no subúrbio de Belfast

Associated Press

12 de abril de 2010 | 00h30

  

 

BELFAST - Dissidentes do Exército Republicano Irlandês (IRA) detonaram uma bomba nesta segunda-feira, 12, no lado de fora do quartel-general do serviço de inteligência britânico na Irlanda do Norte. O atentado ocorreu poucas horas antes dos líderes rivais católicos e protestantes escolherem o novo ministro da Justiça.

 

O serviço policial da Irlanda do Norte disse que dissidentes do IRA, que formam uma facção chamada de 'IRA Verdadeiro', fizeram um motorista de táxi de Belfast refém e usaram o veículo para transportar a bomba até os muros que cercam o quartel.

 

A explosão não chegou a causar danos maiores para ao quartel, nem aos imóveis vizinhos, em Holywood, subúrbio de Belfast. Cerca de 50 pessoas foram retiradas do local, antes da explosão, depois que a polícia foi avisada através de um telefonema anônimo sobre a presença do artefato. Ninguém saiu ferido.

 

O Ministro britânico para Irlanda do Norte, Shaun Woodward, disse que "a transição democrática permanece em contraste com a atividade de uns poucos criminosos que não vão aceitar a vontade da maioria da Irlanda do Norte. Eles não têm apoio em nenhum lugar", completou.

 

'IRA Verdadeiro'

 

O IRA Verdadeiro nasceu de um racha na liderança do IRA em outubro de 1997, por causa da direção que o Sinn Feinn (braço político do IRA) estava tomando em relação ao processao de paz na Irlanda do Norte.

 

O IRA Verdadeiro foi responsável pelo pior atentado dos 30 anos de violência na província britânica, o ataque a bomba na cidade de Omagh, que matou 209 pessoas, em agosto de 1998.

 

Texto atualizado às 9h44.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.