Irlanda nega negociação para ajuda financeira

A Irlanda anunciou no domingo que não precisa nem está discutindo ajuda financeira com a União Europeia e ainda negou relatos de que a UE estaria pressionando o país a aceitar financiamento de emergência.

CARMEL CRIMMINS E ANNIKA BREIDTHARDT, REUTERS

14 de novembro de 2010 | 16h25

Fontes da UE afirmaram ao longo dos últimos dois dias que as negociações sobre uma possível ajuda estavam em andamento e que é improvável que a Irlanda consiga resistir sem assistência.

A União Europeia está empenhada para que a Irlanda aceite a ajuda, segundo fontes, para evitar um cenário ao estilo da Grécia, onde problemas econômicos em um país podem afetar toda a zona do euro.

O ministro dos Negócios, Comércio e Inovação irlandês, Batt O'Keeffe, disse à emissora RTE que a Irlanda não era como a Grécia, que será financiada até meados de 2011, e que não estava discutindo um pacote de resgate com a União Europeia.

"Não. Nós temos toda a confiança de que seremos capazes de gerir a nossa economia", disse ele. "Nossa soberania foi conseguida a duras penas e este governo não vai abrir mão de sua soberania para ninguém."

Ele acrescentou que o Fundo Monetário Internacional disse acreditar que a Irlanda poderia controlar sua própria economia.

A Alemanha, tesoureira-chefe da UE, afirmou que não está pressionando a Irlanda para receber ajuda.

Fontes da UE disseram que estavam sendo debatidas propostas de ajuda de 45 a 90 bilhões de euros.

Se necessária, a ajuda poderia vir de um mecanismo inicial de resgate da UE ou da entidade European Financial Stability Facility (EFSF), de 440 bilhões de euros, criada depois de a Grécia ter sido forçada a buscar ajuda em maio.

Tudo o que sabemos sobre:
IRLANDAAJUDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.