Irmão gêmeo identifica corpo do presidente da Polônia

Irmão gêmeo identifica corpo do presidente da Polônia

Jaroslaw Kaczynski foi ao local do acidente acompanhado do primeiro-ministro polonês Donald Tusk

AE-AP-Dow Jones

10 de abril de 2010 | 20h00

SMOLENSK - Jaroslaw Kaczynski identificou o corpo do seu irmão gêmeo e presidente da Polônia Lech Kaczynski, uma das vítimas da queda do Tupolev presidencial que matou outras 97 pessoas neste sábado, 10, na Rússia, segundo informou a agência de notícias russa RIA Novosti, que citou um legislador polonês.

 

Kaczynski viajou para Smolensk - localizada perto da fronteira com a Bielo-Rússia - para visitar o local do acidente junto como o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk. O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, que assumiu o comando das investigações do acidente aéreo, se juntou a Tusk para examinar o local e deixar flores nas ferragens do avião, segundo a RIA Novosti. Os dois chefes de governo, que falavam em russo, então se abraçaram e se juntaram às equipes de busca que ainda trabalhavam no local.

 

Turk e Jaroslaw Kaczynski voaram para a cidade de Vitebsk, na Bielo-Rússia, e chegaram a Smolensk de carro.

 

Segundo um correspondente da AFP, os corpos do presidente da Polônia, Lech Kaczynski, sua esposa, Maria Kaczynska, e sua comitiva de alto escalão já foram transferidos para o aeroporto Domodedovo, em Moscou.

 

O Ministério de Emergência da Rússia informou que 97 pessoas morreram no acidente aéreo, sendo que 88 delas eram membros da delegação polonesa. O Ministério de Relações Exteriores da Polônia disse que a lista de passageiros tinha 89 nomes, mas uma pessoa não apareceu para tomar o voo de quase uma hora a partir do principal aeroporto de Varsóvia.

 

O Tupolev caiu neste sábado (10) a cerca de um quilômetro do aeroporto militar Smolensk-Severnuy, durante sua quarta tentativa de aterrissar em meio a um intenso nevoeiro. Segundo o governador da região de Smolensk, Sergei Antufiev, o avião "esbarrou no topo de árvores, bateu e quebrou-se em pedaços".

 

A agência de notícias oficial da Rússia, RIA-Novosti, disse que as indicações preliminares são de que o acidente foi causado por erro dos pilotos. Ambas as caixas pretas do Tupolev foram encontradas.

 

O Tupolev 154 foi muito utilizado na aviação civil do bloco oriental nos anos 1970 e 1980. Há tempos, a Polônia vinha discutindo a substituição dos aviões que transportam seus líderes, mas faltavam recursos para isso.

 

De acordo com a Aviation Safety Network, foram registrados 66 quedas envolvendo os Tu-154 nas últimas quatro décadas, incluindo seis nos últimos cinco anos. Recentemente, a companhia aérea russa Aeroflot retirou de serviço todos os Tu-154 de sua frota, em grande medida porque os aviões não atendiam as normas internacionais de restrição de ruído e consumiam muito combustível.

 

O avião da presidência da Polônia passou por uma completa revisão em dezembro na Rússia. Foram feitos reparos nos três motores do avião, equipamento de navegação, atualização eletrônica e do interior do avião. Segundo o diretor da unidade de manutenção Aviakor, o avião estava em plenas condições de uso.

Tudo o que sabemos sobre:
Acidente aereoPoloniaKaczynski

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.