Alessandro Bianchi/AP
Alessandro Bianchi/AP

Itália anula sentença contra advogado britânico

David Mills foi declarado culpado por aceitar suborno para mentir em favor de Berlusconi; acusação expirou

Associated Press,

25 de fevereiro de 2010 | 18h41

A Itália anulou nesta quinta-feira, 25, uma sentença de culpa contra o advogado britânico David Mills, acusado de aceitar suborno para mentir em um julgamento em 1990 em proteção ao primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi.

 

O promotor Gianfranco Ciani insistiu que Mill aceitou suborno, mas em uma mudança surpreendente nesta quinta, recomendou que acusação fosse retirada.

 

A decisão é apenas uma vitória parcial para Berlusconi, já que a corte afirmou que um crime foi cometido.

 

O veredicto abre caminho para o julgamento do próprio prêmie, que foi colocado em espera para aguardar o resultado da apelação de Mills. A próxima audiência está marcada para sábado.

 

Mills foi declarado culpado por corrupção em fevereiro de 2009, e condenado a quatro anos e meio de prisão. Ele teria recebido US$ 600.000 para dar falso testemunho em dois julgamentos no ano de 1990, com a intenção de livrar Berlusconi e sua empresa Fininvest holding de acusações relacionadas a obtenção de direitos de filmes norte-americanos.

 

Mills e Berlusconi negaram as acusações. O primeiro-ministro se diz vítima de promotores que fazem parte da oposição. Não houve resposta imediata de Berlusconi após a decisão da Corte de Cassação.

 

Na parte de Berlusconi do caso, promotores o acusam de ter ordenado o pagamento. Seu julgamento foi adiado por uma lei de imunidade que o impede de ser acusado enquanto estiver no governo, mas a lei foi anulada por ser institucional em Dezembro.

 

Em uma tentativa para aprovar outra lei de imunidade penal, aliados de Berlusconi no parlamento aprovaram um projeto neste mês que permitiria ao premiê e a ministros adiarem em seis meses audiências nas quais estejam envolvidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.