Itália busca testemunho de Chávez em caso de narcotráfico

O presidente venezuelano, Hugo Chávez,será convidado a prestar depoimento como testemunha de defesasobre um caso de tráfico de drogas, disse o advogado do réu nasexta-feira. O testemunho de Chávez foi um pedido de Walter AlexandreDel Nogal, empresário venezuelano preso em Milão em setembro eacusado de tráfico de drogas. Ele está sendo julgado em um tribunal da capital siciliana,Palermo, no sul do país. Nesta semana, a corte concordou empermitir que Chávez fosse testemunha, disse Roberto Tricoli, oadvogado de Del Nogal, à Reuters. Del Nogal quer contestar a versão da testemunha deacusação, o informante Massimo Lo Vreglio, que disse ter vistoDel Nogal e Chávez juntos em um escritório em Caracas, disseTricoli. "Ele disse ter visto meu cliente na Venezuela e disse queconhece Chávez. Já que isso não é verdade, quero mostrar queele está dizendo enormes mentiras", disse Tricoli à Reuters,acrescentando que isso iria arruinar a reputação de Vregliocomo informante do Estado. Na Itália, as testemunhas de defesa não podem se recusar atestemunhar. Mas, já que Chávez é um chefe de Estadoestrangeiro, as autoridades judiciais devem rever tratadosinternacionais para determinar como e quando o depoimentoacontecerá, disse Tricoli. A mídia venezulana disse que Del Nogal foi condenado nosanos 1990 a quase 21 anos de prisão pelo assassinato de umempresário rival, mas recebeu indulto em 2000. Tricoli afirmou não saber de nenhuma atividade criminalanterior de seu cliente na Venezuela e que, por isso, nãopoderia falar sobre o assunto. (Reportagem de Phil Stewart e Wladimir Pantaleone)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.