Itália prende 52 mafiosos acusados de tráfico e extorsão

Clã Gaeta também pode estar envolvido na manipulação do resultado de eleições municipais no país

Efe,

25 de setembro de 2007 | 15h13

As forças italianas prenderam nesta terça-feira, 25, em Foggia, sul do país, 52 supostos membros de um clã mafioso da região da Apúlia, sob a acusação de narcotráfico, extorsão e tráfico de resíduos tóxicos. Durante a operação foram detidos supostos membros do clã Gaeta da máfia local, é acusado de ameaças e torturas aos que denunciavam as extorsões ou aos membros das instituições que lutavam contra as atividades criminais.O Gaeta é responsável por administrar as atividades ilegais da região que compreende as localidades de Orta Nuova, Carapelle, Ordona, Stornara e Stornarella desde a década de 1990, segundo a Promotoria de Foggia, que ordenou a operação.De acordo com os investigadores, a organização se dedicava ao tráfico de resíduos, alguns tóxicos, e nos últimos anos tinha negociado cerca de 100 mil toneladas de lixo, que renderam 5 milhões de euros.Além disso, os promotores informaram que o clã foi capaz de determinar os resultados das eleições em algumas localidades da região, por meio da presença dos seus homens na administração ou a cumplicidade com funcionários públicos.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaMáfia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.