Itália realiza operação antimáfia e prende 'comandantes'

Polícia afirma que os 5 detidos respondiam ao "chefe dos chefes" preso na semana passada, Salvatore Lo Piccolo

Reuters,

13 de novembro de 2007 | 15h08

A polícia italiana afirmou nesta terça-feira, 13, que prendeu cinco "comandantes militares" da máfia na Sicília e que cumpria mandados de prisão contra outros 70 supostos mafiosos. Os detidos respondiam diretamente ao novo "chefe dos chefes" da máfia, Salvatore Lo Piccolo, antes da sua prisão na ilha da Sicília (sul), na semana passada, após passar quase 25 anos fugindo das forças de segurança, afirmaram investigadores. Segundo a polícia, os comandantes presos cumpriam ordens de Lo Piccolo. Eles são acusados de tráfico de drogas, tráfico de armas e extorsão. Os encarregados do caso acreditam que Piccolo, 65, apelidado de "o Barão", assumiu o comando da organização criminosa depois da prisão, no ano passado, do ex-chefão Bernardo Provenzano. O governo diz que as repetidas investidas contra a liderança da Cosa Nostra enfraqueceram bastante a organização. A operação Palermo aconteceu junto com uma ação dirigida contra o clã mafioso Bottaro-Attanasio, também da Sicília. Foram emitidos 70 mandados de prisão contra supostos gângsteres de toda a Itália, também acusados de extorsão e tráfico de drogas. "Com essa operação de hoje, o clã Bottaro-Attanasio em Siracusa pode ser considerado extinto", afirmou a meios de comunicação italianos o promotor Ugo Rossi.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliamáfia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.