Itália volta a pedir prêmio Nobel da Paz para Ingrid

Ex-refém representa 'o símbolo da força e esperança para os ainda sofrem injustiças', diz político italiano

Ansa,

03 de julho de 2008 | 19h04

Dirigentes políticos italianos retomaram nesta quinta-feira, 3, a proposta de apoiar a ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Ingrid Betancourt, como candidata ao Nobel da Paz. Fabio Evangelisti da Itália dos Valores (IDV), partido pequeno de centro-esquerda, disse que Betancourt representa "o símbolo da força e esperança para os que ainda sofrem injustiças. Por isso, a IDV continuará com o seu compromisso para que seja indicada ao Nobel da Paz."   O parlamentar do governista Povo da Liberdade (PDL), Giampiero Catone, afirmou que é muito válida a proposta de apresentar Betancourt como candidata ao Nobel. Michela Biancoforte, também do PDL, uniu-se ao coro de propostas de políticos para confirmar essa indicação.   Veja também: 'Ingrid tem algumas seqüelas, mas está muito bem', diz marido Reféns contam como era o dia-a-dia O drama de Ingrid Por dentro das Farc  Histórico dos conflitos armados na região    Cronologia do seqüestro de Ingrid Betancourt Leia tudo o que foi publicado sobre Ingrid   O assessor adjunto da cooperação internacional da região Toscana, Massimo Toschi, associou-se ao pedido para "dar também esperança aos reféns e prisioneiros do mundo inteiro". As assembléias regionais do país debateram a proposta de indicar a ex-candidata à presidência da Colômbia ao Nobel da Paz na Conferência Nacional em 21 de julho.

Tudo o que sabemos sobre:
Ingrid BetancourtFarcColômbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.