Alexandros Beltres/Efe
Alexandros Beltres/Efe

Jornalista grego foi morto por supostos terroristas, diz Polícia

Autoridades acreditam que Sokratis Giolias foi vítima da Seita dos Revolucionários

Associated Press

19 de julho de 2010 | 15h19

ATENAS - O jornalista grego Sokratis Giolias, de 37 anos, morreu em frente À sua casa depois de ser atingido por tiros disparados por homens suspeitos de pertencer a um grupo terrorista que prometeu atacar meios de comunicação, informou nesta segunda-feira, 19, a Polícia da Grécia.

 

Ao menos dois criminosos dispararam 16 vezes contra Giolias. Os homens armados disseram ao jornalista que seu carro estava sendo roubado e fizeram com que ele saísse de casa, segundo as investigações da Polícia.

 

Giolias, que era casado e tinha um filho pequeno, dirigia a rádio Thema FM e tinha um blog de notícias bastante popular, o Troktiko, onde geralmente escrevia sobre escândalos.

 

Foram recuperados 16 cápsulas de balas disparadas por pistolas .9mm na cena do crime. A munição coincide com a usada pelo grupo grego Seita dos Revolucionários, segundo informou a Polícia.

 

Segundo um relatório balístico, as duas armas usadas para matar Giolias foram usadas também para matar o policial Nektarios Savvas, que vigiava a casa de uma testemunha de um caso de terrorismo.

 

O grupo passou a agira depois que a Grécia sofreu com os grandes protestos de dezembro de 2008, gerados pela morte de uma adolescente causada em uma ação da Polícia. O grupo se declarou responsável pela morte de um policial em junho de 2009 e atacou com explosivos e tiros um canal privado de televisão em fevereiro deste ano.

 

Desde os confrontos de 2008, as autoridades gregas tem enfrentado ataques cada vez mais sangrentos por parte de grupos militantes. No mês passado, uma carta bomba foi detonada no interior do Ministério da Proteção Civil, matando um assessor do ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaviolênciacrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.