Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Jornalista que jogou sapatos em Bush pede asilo na Suíça

Defesa afirma que repórter da sapatada, detido no Iraque, corre risco de vida

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2009 | 09h18

O jornalista iraquiano que tentou agredir o presidente americano George W. Bush, Muntadhar al-Zeidi, pediu asilo político na Suíça. Para o advogado que cuisa do caso, Mauro Poggia, o iraquiano Al Zeidi está correndo " risco de vida ".  Al-Zeidi tentou acertar Bush com seu sapato no dia 14 de dezembro, durante a última conferência do presidente americano no Iraque. O jornalista foi preso e está aguardando seu processo por tentative de agressão contra um líder estrangeiro.  Pela tradição no mundo árabe, mostrar a sola do sapato é um ato de desrespeito a uma pessoa."Isso é um beijo de despedida, seu cachorro", afirmou o jornalista, atacando a política de Bush e a invasão que ocorreu em 2003.  Em Genebra, o advogado relevou que a família do jornalista entrou em contato com ele há poucas semanas pedindo ajuda para obter o asilo político dos suíços. Segundo ele, Al-Zeidi foi torturado na prisão e foi duramente agredido. Para o advogado, é a vida do jornalista que corre perigo agora. Poggia conta que o iraquiano teve seu braço e costelas quebradas, além de hemorragia interna. "Sua vida pode se tornar um inferno", afirmou Poggia. "Já em Genebra, ele pode tranquilamente trabalhar como correspondente nas Nações Unidas", disse. Na sala de imprensa da ONU, as opiniões divergiam sobre o comportamento do jornalista. Enquanto muitos apoiavam sua ira contra Bush, outros apontavam para o erro de tentar agredir alguém que estava dando uma conferência de imprensa. Para Poggia, mesmo depois de cumprir sua sentença no Iraque sobrevivendo à tortura, o jornalista não teria como continuar trabalhando no país. Al-Zeidi se transformou em herói para muitos, mas seu advogado teme ações por parte de extremistas. Poggia conta ainda que está redigindo uma carta ao Ministério de Relações Exteriores da Suíça para formalizar o pedido de asilo.  Em Bagdá, o processo contra o jornalista continua em um impasse, já que os promotores não sabem se acusam Al-Zeidi por agressão ou insulto contra Bush.

Tudo o que sabemos sobre:
SapatadaGeorge W. BushEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.