Facundo Arrizabalaga/Efe
Facundo Arrizabalaga/Efe

Justiça britânica vai indiciar ex-chefe de Imprensa de Cameron

Decisão é o mais importante desdobramento do escândalo que abalou o governo do país

Reuters

24 de julho de 2012 | 08h01

LONDRES - O ex-chefe de Imprensa do primeiro-ministro britânico, David Cameron, e a ex-editora-chefe de um jornal da rede do magnata Rupert Murdoch serão indiciados pelo delito de escuta telefônica. A decisão da Justiça britânica, divulgada nesta terça-feira, 24, é o mais importante desdobramento do escândalo que abalou o governo do país.

Veja também:

linkPolícia britânica investiga outros jornais além do de Murdoch

linkMurdoch deixa direção de jornais

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A Procuradoria afirmou nesta terça-feira que o ex-chefe de Imprensa Andy Coulson - que esteve nesse cargo de 2007 até janeiro de 2011 - e a jornalista Rebekah Brooks serão julgados por delitos relacionados a escutas telefônicas. Vários primeiro-ministros britânicos, incluindo Cameron, adulavam Rebekah por causa de seu cargo de editora-chefe no jornal de Murdoch.

Os supostos delitos foram cometidos quando Coulson e Rebekah trabalhavam no News of the World, tabloide dominical que Murdoch foi forçado a fechar em julho do ano passado, em meio à indignação no país pelas revelações de escutas telefônicas de autoridades e celebridades.

Seis outros jornalistas que detinham altos cargos no jornal também serão indiciados pelo caso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.